INICIATIVA PRÓ-MONTADO EXIGE 60 MILHÕES DE EUROS AO GOVERNO

Sem comentários

Um grupo de produtores de sobro e cortiça, autarcas de vários municípios alentejanos, associações ambientalistas e investigadores, criou a “Iniciativa Pró-Montado” que solicita ao Governo medidas de prevenção das áreas do montado abaixo do rio Tejo.

Um dos principais objetivos da “Iniciativa Pró-Montado” é sensibilizar as autoridades para canalizar parte das verbas de fundos europeus do Portugal 2020 destinadas para a agricultura para este sector. Um dos produtores de sobro pertencente ao grupo garantiu que as doenças, pragas e secas que têm atingido a floresta a Sul, onde se concentra 72% dos sobreiros do país, têm que ser evitadas e prevenidas. Por isso, o grupo exige o lançamento de um concurso regional para o Alentejo de apoio à melhoria de resiliência e de valorização ambiental, que estima custar cerca de 60 milhões de euros, para fazer face às consequências de duas décadas de deterioração do clima, três anos de seca seguidos, e os mais recentes incêndios florestais.

Algumas das medidas de proteção do montado de sobro a Sul do país são, por exemplo, o aumento do número de sobreiros, dos atuais 60 hectares para 80 a 100. As intenções do grupo para inverter o declínio do setor já chegaram ao Primeiro-Ministro e Ministro da Agricultura mas até ao momento não houve qualquer resposta.

Menu